31 de outubro de 2007

Movimento pela valorização do Futebol Potiguar

Nota à imprensa


No dia 28 de outubro, p.p., tivemos no Machadão o jogo América x Flamengo, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Mas não tivemos apenas “mais um jogo”. Ali, naquela ocasião, pode-se observar dois fenômenos, de efeitos diametralmente opostos. De um lado, a torcida que foi torcer pelo time da sua terra, o América F.C.. Do outro lado, a torcida que preferiu torcer contra o time da sua terra. Aqui, convém abrir um parêntese: Definição de torcedor misto: aquele que torce por um clube local e também por outro clube, mas de fora do seu Estado, notadamente para clubes do eixo Sul/Sudeste.
-
À imprensa potiguar talvez isso possa lhe cair como a coisa mais natural do mundo. Mas só à daqui, saibam. A vergonhosa cobertura nos dias que antecederam o jogo, principalmente a televisiva, mostrando toda a alienação há muito perpetrada nas mentes dos torcedores potiguares e nordestinos, pela grande mídia, típico da mais pura subserviência cultural, só foi superada no dia do jogo e no seguinte, onde parecia haver certo prazer em demonstrar — falseando-se, diga-se — o que de fato ocorreu.
-
Que tenham as suas preferências clubísticas, quer seja pelo América, pelo ABC, Potiguar ou Baraúnas mas, daí a incentivar o desprezo pelo futebol do RN e a fanfarronice por clubes que não têm nenhuma ligação com a nossa terra, diminuindo a auto-estima dos torcedores potiguares, é demais senhores.
-
Saibam que a imprensa potiguar está, já há algum tempo, perdendo o bonde da história. Enquanto que em Pernambuco essa mazela do torcedor misto foi erradicada, por aqui o jornalismo acha belo mostrar na tela da TV um pai flamenguista e uma mãe corinthiana segurando a mão de um filho de três anos que se diz (!) vascaíno.
-
Com essa mentalidade retrógrada, ultrapassada, subserviente, nunca o nosso futebol será grande. Ah! E poderá ser grande? Sim, poderá ser grande. Mudem essa postura de subserviência aos clubes de fora. Valorizem os clubes daqui. Mirem-se no exemplo dado pela torcida do América que, infelizmente (ou propositadamente), não foi mostrada na TV nem nos jornais impressos. Leiam aquelas faixas conclamando o torcedor local a valorizar O NOSSO FUTEBOL.
-
Ontem foi o América; amanhã, quem sabe, pode ser o ABC a vir a sofrer esse tipo de desprezo pela torcida local e pela imprensa potiguar. Enquanto o torcedor do RN não se focar nos clubes daqui, comparecer ao estádio, consumir os seus produtos, seremos sempre pequenos. E essa mudança passa, e muito, pelo papel que a imprensa vier a desempenhar.
-
Como um dado apenas para exemplificar o prejuízo, dessa vez financeiro, com que essa postura “mista” tem contribuído, tomemos por base o jogo acima citado. Apenas no item “camisa”, e considerando-se que a torcida visitante estava presente em 60%, dentre os quase 33 mil pagantes, temos aí a monta de aproximadamente R$ 3.000.000,00 . Isso mesmo. 3 milhões só em camisas do Clube de Regatas Flamengo. Vestissem a camisa ou do América ou do ABC, tais clubes estariam contabilizando, cada um, cerca de R$ 1.500.000,00 , posto que ambas são praticamente iguais em quantidade de torcedores.
-
É hora de mudarmos isso!
-
E é com orgulho que vemos o primeiro passo ter sido dado. Fica aqui o registro de reconhecimento ao narrador esportivo Marcos Lopes, por artigo escrito recentemente enfocando o tema, e ao jovem estudante de jornalismo Carlos Júnior, do site “pimbanagorduchinha” pela cobertura imparcial e, especialmente, pela valorização ao futebol potiguar.
-
Arregacem as mangas e juntem-se a nós, a fim de que mudemos esse cenário deprimente.
-
INCENTIVEM OS POTIGUARES A TORCER POR CLUBES POTIGUARES;
-
DÊEM MENOS ESPAÇO ÀQUELES QUE NENHUM ESPAÇO NOS DÁ;
-
SEJA POTIGUAR.
-
SEJA DAQUI.

Um comentário:

procivil disse...

Valeu, AG.

Parabéns por se enganjar à causa.

AC