12 de abril de 2010

Perigo no Circo, um espetáculo sem palhaçada

ARTIGO
Yasmine Lemos
yasminelemosrn@blogspot.com

Sábado, dia 10/04, fomos ao espetáculo das 17h no circo dos anões (Pindorama) ao lado do Machadão. Pelo que vimos na propaganda, parecia um grande espetáculo, porém lamentável o que vimos e presenciamos.

Toda a estrutura do circo deixando a desejar, seja no aspecto de produção e segurança. No intervalo para armar a rede dos “trapezistas voadores” do nada aparece um rapaz e pede para nos afastarmos um pouco para que fosse colocada uma barra de ferro pesada.

As crianças estavam sentadas na primeira fila e nós os pais na segunda. Quando a rede foi armada, para o espanto de todos, havia vários remendos na rede além da precariedade na colocação, sendo feito às pressas.

Instinto materno aguçado, tentei me afastar o máximo e retirei meu filho de perto. Antes de terminar o número percebo que vem o mesmo rapaz que colocou a rede e segura com as duas mãos a barra de ferro, fiquei cismada.

Terminado a apresentação mediana o trapezista mais forte se joga, como é feito sempre para poder chegar ao picadeiro, foi quando a rede se solta do nosso lado e desmonta, a barra de ferro sai do lugar e bate na cabeça de uma criança.

Agonia dos pais, silêncio do pessoal do circo. Saímos indignados.

Os patrocinadores (Vivo, OI, SCHIN) e apoio da Prefeitura do Natal deveriam no mínimo antes ver e averiguar as condições do circo, a segurança.

Passado o susto sem grandes danos, graças a Deus, deixo aqui meu protesto e aviso para não levarem seus filhos. A barra de ferro dessa vez não caiu, mas poderia ter matado uma criança.

Um comentário:

Carlos Augusto [Floyd] disse...

Esse "apoio" da Prefeitura não existe. A prefeitura loca o espaço, não dá apoio.
É bem óbvio que os orgãos responsáveis por averiguar alguma coisa jamais o fizeram.
Lembra da situação do rapaz eletrocutado no carnatal? Foi uma simples falta de verificação de segurança.