23 de janeiro de 2006

Galo da Bica ou do Caminho?

Nós, que fazemos a Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências, levamos para a Capitania das Artes e Fundação José Augusto um projeto que tem por objetivo principal resgatar o carnaval urbano de Natal. Esse é um sonho de muitos natalenses, que, há mais de duas décadas, vê o nosso carnaval se espalhar pelas praias de veraneio, deixando a cidade vazia de qualquer folia.
É um projeto ousado, porém relativamente barato, em torno de 150 mil reais. Um investimento que, com certeza, em curto prazo, terá retorno incalculável para a cultura e, principalmente, para o turismo de Natal.
A idéia é levar o carnaval para o centro histórico, resgatando nossa paisagem de origem.
Para mexer com imaginário popular, duas bandas serão criadas: a Galo da Bica e a Galo do Caminho. Na verdade, Banda do Galo da Santa Cruz da Bica e Banda do Galo da Rua do Caminho de Beber Água. Três ícones de nossa história e dois galos a se rivalizarem, como os antigos xarias e ganguleiros. Não que eles saiam às esporadas. Só alternativas que se misturarão a uma folia maior, pensada, planejada para fazer renascer o melhor da época momesca: a espontaneidade da folia satírica, bem humorada, colorida.
E para colorir e trazer alegria e público para um carnaval que não mais existe numa cidade vazia, mais provocações ao imaginário popular, com disputas entre grupos folclóricos, grupos de papangus, bonecos e troças carnavalescas. A idéia é atribuir-se prêmios para que as fantasias surjam, os bonecos apareçam e tomem as ruas do Centro Histórico. Prêmio Câmara Cascudo para o melhor grupo folclórico, o folclore abrindo as programações do carnaval nosso de todos os dias, desde a sexta-feira gorda, em passeios pelas ruas Santo Antônio, Praça André de Albuquerque, Rua da Conceição e; muitos outros prêmios.
Na Praça André de Albuquerque, uma praça de alimentação e uma Feira da Fantasia. Entre a praça e o Palácio da Justiça, com frente para a Assembléia Legislativa, o palco principal do evento, para shows que entrarão noite adentro, com artistas nossos, cantando as músicas do carnaval brasileiro. Para crianças e velhas gerações, na Praça da Poesia, no pátio interno do Palácio da Cultura, quatro bailes, dois para os Galinhos do Centro Histórico e dois para os saudosos do Gango do Tetéu, dos anos 50 do século passado.
Ainda existem na cidade os blocos de carros alegóricos? Vamos levá-los, então, ao Centro Histórico. Vamos criar prêmios para atrair fantasias, viver sonhos. Criar condições para uma Maratona Fotográfica tendo como tema o evento e; realizar uma oficina de artes plásticas onde os nossos pintores materializarão em risco e tinta o carnaval e seus encantos.
O prefeito quer a festa. Dácio Galvão, presidente da Capitania das Artes, e Amélia Freire, diretora de promoções culturais da Fundação José Augusto, gostaram do projeto. Há dificuldades orçamentárias, mas boa vontade para tentar superá-las. Agora, é trabalhar para tudo dar certo. E esperar que o povo de Natal entre em beco e saia de beco acompanhando as bandas que levarão alegria e animação aonde antes só existia o vazio.
Você, que gosta de carnaval, prepare o espírito: adquira na Feira da Fantasia a máscara ou adereços que o fará folião e; para brincar, escolha o Galo de sua preferência ou os dois, porque eles se somarão a uma tradição que será criada e se fará história na cidade do Natal.
Quem viver, verá.

Eduardo Alexandre
Diretor Executivo da SAMBA - Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências



Hino do Galo do Caminho
Eduardo Alexandre

Da tradição do Alto surgiu
Galo formoso
Fogoso
No caminho da água de beber

Sobradinho
Palácio
Tesouro
É ouro
o Galo da Conceição!

É ouro! É ouro! É ouro!
O Galo da Apresentação!



Hino do Galo da Bica
Eduardo Alexandre

O Galo da Cruz da Bica
Do povo do Baldo
Rio Tuiuru
E as lavadeiras
As louceiras
Da feira famosa

Formosa, você morena
Me entenda
O Galo lá da Igreja
É nosso Galo
Querido,
O mais querido
Querido, querido
De coração!



Festa do Bem na Apurn de Pirangi

A construção da Casa do Bem - Dr. Fernando Rezende, em Mãe Luiza, vai ter um reforço cultural com a realização da Festa do Bem, que visa arrecadar fundos para o início das obras do projeto social a ser implantado no bairro. A Festa do Bem vai ser no próximo dia 28, um sábado, a partir das 22h, na Apurn de Pirangi, com a banda Anos 60sendo a atração da noite. As mesas estão sendo vendidas na própria Apurn e na Atlântico Operadora de Turismo, no shopping Sea Way, pelo preço de R$ 60,00 para quem não é sócio e de R$ 50,00 para os sócios da Apurn. - Mais informações com o presidente da Casa do Bem - Dr. Fernando Rezende, jornalista Flávio Rezende 8839-8428 ou na Atlântico Operadora de Turismo, fone 3642-1578.
A Casa do Bem - Dr. Fernando Rezende é um projeto sócio-cultural, que vai funcionar na rua Papa João XXIII, em Mãe Luiza, com a proposta de oferecer qualificação profissional, lazer, entretenimento, cultura e assistência em diversos níveis, para cidadãos que precisem dos serviços oferecidos, tudo gratuitamente e com muito amor. Diversas outras ações estão sendo planejadas para a obtenção de recursos com a finalidade de construir a Casa do Bem, já tendo a ong posto a venda o livro "Letras e Imagens do Bem - Vol. I", como também o planejamento de um segundo evento para depois do verão, com a banda Los Manos e uma feijoada beneficente com apoio da maçonaria.
Flávio Rezende
Pres. Casa do Bem - Dr. Fernando Rezende

Um comentário:

Antoniel disse...

Alex, vejo que o GrandePonto já começou com a bixiga taboca. Vida longa! abraços, AC - Sempre Samba.