6 de março de 2007

Geléia da Becolândia

Maurício Grounge

* Essa coluna é atualizada toda segunda-feira.
(Hoje, é um dia excepcional)

Poética
(Manoel Bandeira)

Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
[protocolo e manifestação de apreço ao Sr. Diretor

Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
[o cunho vernáculo de um vocábulo

Abaixo os puristas

Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo ao sintaxe de excerção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis

Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todos lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.

De resto não é lirismo
Será tabela de co-seno secretário do amante
[exemplar com cem modelos de cartas
[e as diferentes maneiras de agradar
[às mulheres, etc

Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbados
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clows de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação

(Versos que o poeta Bosco Lopes, de saudosa memória, gostava de declamar).


Conhecer
A parte da poesia é a arte.

Ouça se puder
“Lady Jane”, letra de Geraldo Carneiro, musicada por Egsberto Gismonti. Chaucer de corpo e alma na voz de Olívia Brigton.

Pós tropicalismo
“A outra banda da terra”, Caetano Veloso em Uns.

Era só começo nosso fim
Nonada. Rosa. Drumond. Nada como um dia atrás do outro e um poema no meio do caminho.

Moda
O burburinho no Bar de Pedrinho.

Sacada
Petrópolis: um bairro organizado.

Recepção
O médico Caio Sales era só felicidade na confraria Letra & Música, sábado passado.

Opinião
Paraíso Tropical, de Gilberto Braga, será sucesso na certa. Tem tudo para agradar ao telespectador.

Big Brother Brasil 7
“Só os míopes não acreditam no sucesso desse BBB”, Pedro Bial.

Poesia
Antônio Delfino é um dos bons poetas dessa cidade submersa.

Nenhum comentário: