24 de dezembro de 2008

O livro de Volontê

Poeta Volantê pelas lentes de AG Sued.

Woden Madruga
(jornalista)
-
O poeta Volontê, registrado no cartório com o nome digno de embaixador, Manoel Fernandes de Souza Júnior, organizou uma coletânea de textos a qual deu o titulo de “Lira de Viagem”. O livro acaba de ser editado pela Siciliano com o apoio da Capitania das Artes, Fape-RN e Plante, cumplicidades do poeta.

Nesse bisaco, Volontê juntou textos de Guimarães Rosa, o amazonense Aristófanes Castro, Américo de Oliveira Costa, Sanderson Negreiros, Octávio Paz, Luis Carlos Guimarães, Antonio Maria, Manoel Onofre Jr., Fernando Pessoa, Pery Lamartine, Marguerite Yourcenar, Nelson Rodrigues, Ângela Almeida, versos de Paulinho da Viola, Diva Cunha, Napoleão de Paiva Souza, Demétrio Vieira Diniz, José Delfino e de Alex Nascimento, este agregado - como se efetivo fosse - a um texto de WM, de título “O Sertão de Alex”.

O livro de Volontê tem dois pecados, culpa dele mesmo. O primeiro: faltou uma apresentação, que poderia ser a orelha que não tem, até para dizer porque da antologia. Segundo: umas quatro, seis linhas revelando ao mundo quem é Manoel Fernandes de Souza Júnior, o organizador. Verdade que ele merece muitas laudas. Ele e Volontê.

Bom, o livro traz também dois pequenos (grandes) poemas de Volontê. Destaco o “Palavras”, que diz assim: “No começo era o verbo depois chegaram os canalhas”

2 comentários:

Adailton Figueiredo. disse...

... sou um desses ilustres desconhecido-homem-comun, fã de Volantê e gostaria que Natal reconhecesse o extradiordinário valor deste poeta ainda em vida.

Após, sua morte, queira Deus que isto demore, vão colocar o nome dele em espaço cultural, rua, praça, enfim... em vida, ninguém lembra de patrocinar sua obra.

Afinal, na taba é assim... só tem vez quem é cacique.

Adailton Figueiredo.
www.blogdogeohistoria.com

Anônimo disse...

Volontê

Eis, Volontê,
Menino zangado
Dedo malcriado
Cabeça de gênio
Poeta arretado
Simplesmente, você.

Chegou sua vez
Com "Lira de Viagem"
Trazendo a mensagem
De outros poetas
Vai pedindo passagem
Mostra sua lucidez

Manoel Bomfim
30/12/2008