26 de fevereiro de 2009

Carta do sertão, enviada por Marco da Pitombeira

Acari RN, quarta-feira de cinzas, fevereiro de 2009.

Me responda ligeiro, amigo Alex: Essa crise internacional é tão feia assim como se pinta ou é só pantim de gringo sabido?

Aqui, na feira de Acari não se fala noutra coisa. É a Crise. Mas, por essas ribeiras é como “malassombro”, todo mundo sabe o que é, mas ninguém ainda viu. E se viu, tem opinião e solução pra tudo.

A tal da crise é sentida no preço do gado, no metro de lenha, no frete, no leite, na alta de juros... Deve ser a tal da globalização que tanto falam. O matuto tá antenado. Tá sabido que só o diabo!

Vibrou com a posse de Obama. Conversar sobre esse tal do Obama virou moda. Vai salvar todo mundo ou o mundo todo, profetizam alguns...

Até na guerra de Israel contra o “ramais” (é assim q se escreve?), tem torcida. Simpatizantes dos dois lados, com alguns exaltados fazendo apostas e alguns mais afoito, dando uma “vantagem” de uns 100 mortos de diferença pra Israel. Vê se pode!

Mas, o que matuto faz bem é adivinhar inverno. É na formiga, no maribondo fazendo casa.... É um especialista em decifrar os segredos da natureza. E vá contraia-lo pra tu ver!

Esses metereologistas que se metam a besta. São desmoralizados na hora. Como dizia o padim Ciço: “Quer tirar carta de burro, se meta a prever inverno”.

E por falar no tal do inverno, por essas bandas já ta caindo uns respingo de chuva. Pouca coisa ou quase nada, mas, já é um bom sinal. Água de correr biqueira num teve não senhor. Só umas neblinas pra lavar as telhas.

Tenho noticias de chuvas boas pros lados do Cariri paraibano. Já tem esbarro d’água esborrotando e o feijão e o milho já tão "oiando".

Alex, amigo véio, tô escrevendo mesmo é para espichar um abraço inté ai na capitá e desejar toda felicidade do mundo e que essa, alcance a toda sua família com muita paz e saúde.

Ainda toma “umasinha”? Se quiser mando uma cachaça da Pitombeira pra espantar o frio e as mazelas da chuva. Quer?

No mais, é esperar o inverno “engrossar”, se alegrando com o riscado do relâmpago e o ribombar do trovão na serra.

Mande noticias.

Um abraço.

Marco da Pitombeira
Diretamente da ribeira do Acari, Rio Grande do Norte.

2 comentários:

Juliano Sanches disse...

Nossa gostei! Sou apaixonado pelo ruralismo e, quando vejo, ou melhor, escuto uma boa prosa, logo começo a prestar atenção, pois é, na maioria das vezes, um conselho, uma mensagem universal. Em Guaxupé, Minas Gerais, esse tipo de diálogo é muito comum. Fala-se de mulher, de sítio, mas, principalmente, dos causos da imprensa.

Nessa semana, fiz uma comparação entre a vida humana e a natureza no meu blog. Citei o bambuzal, como símbolo de resistência, inclusive. Dê uma olhada.

Visite minha Casa, quando puder.

O endereço é:

(http://casadojulianosanches.blogspot.com/).

Um grande abraço.

José Augusto disse...

O texto do Marco da Pitombeira dá um prazer danado ao leitor. Acari, além de linda, tem dado grandes talentos.
Em verdade, o sertanejo não crê em meteorologia.