7 de maio de 2009

Saint-Exupéry tomou emprestado um livro de Câmara Cascudo?

Formaram a mesa de debate na Aliança Francesa, o sobrinho de Saint-Exupéry, o engenheiro François d’Agay, a escritora Sheila Dryzun, o escritor e presidente da Academia Norte-Rio-grandense de Letras, Diógenes da Cunha Lima, o pintor Dorian Gray Caldas e o escritor Pery Lamartine.
-
Deu na coluna de Woden Madruga, Tribuna do Norte:
“Li mais uma dessas estórias incríveis, através do texto de Yuno Silva (Na Sombra do Baobá) publica declarações do poeta Diógenes da Cunha Lima dando conta de que, Exupéry, estando em Natal, foi à casa de Luiz da Câmara Cascudo, conversa-vai-conversa-vem (certamente em francês), quando, lá pras tantas, o piloto pediu um livro emprestado a Cascudo.

Cascudo, que escreveu anotações sobre aviação no Rio Grande do Norte, desde o primeiro pouso aqui de um avião vindo da Europa (anos vinte), um verdadeiro diário dessas travessias e travessuras, jamais citou Exupéry. Lendo ontem a revelação de Diógenes, fiquei imaginando (inda estou imaginado) que danado de livro Antoine Saint-Exupéry teria tomado emprestado do mestre. Será que devolveu?

Monsieur François d’Agay[1] jamais se esquecerá de Natal. Mais ainda se visitar o baobá da rua São José, em Lagoa Seca, em cuja sombra Exupéry fez um piquenique e saboreou mangabas inesquecíveis. Nas capoeiras vizinhas ouvia-se o canto estridente da seriema.”

Mote e Glosa de Laélio Ferreira

M O T E:

François, vê se dá conta
do tal livro de Cascudo

G L O S A:

O Reitor[2], solene, aponta
o pecado do piloto:
roubou o livro, o escroto...
- François, vê se dá conta!
- Não é que o cabeça-tonta
do seu tio - o tão sisudo! -
pintou o sete, fez tudo:
pescou siri na Ribeira
e, agora, essa besteira
do tal livro de Cascudo!

[1] Monsieur François d’Agay, é sobrinho e herdeiro do famoso Saint Exupéry. Está em Natal, a convite da Prefeitura Municipal da capital. A cobrança da glosa é oportuna, pois!
[2] O Professor Diógenes da Cunha Lima, Presidente da Academia Norte-riograndense de Letras.

NOTA do Grande Ponto:
Ao lado do arquiteto José Correia Torres, o funcionário do blog fez uma entrevista com o coronel-aviador Fernando Hippólyto da Costa, que afirmou que não há registros da passagem do escritor-aviador Saint Exupéry por Natal. O coronel esteve em Paris, no Correio Frances, pesquisando sobre o tema por várias semanas e nada encontrou. Em Natal, não há nenhuma evidência que prove a presença do famoso aviador fracês em terra tupiniquim. Ainda mais pedindo um livro emprestado ao mestre cascudo.

Só pra registrar a importancia da opinião do coronel Fernando Hippólyto da Costa: Um extremo conhecedor de fatos da história do nosso Estado e da aviação brasileira. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, o coronel Hippólyto possui doze trabalhos de pesquisa, dentre eles: "Síntese Cronológica da Aeronáutica Brasileira" (1685 - 1941), publicado em 2000; "Augusto Severo - um pioneiro na conquista do espaço", 2004; "História da Base Aérea de Natal", 1980, e "Santos-Dumont - História e Iconografia", 1982.

4 comentários:

Yuno Silva disse...

para minha felicidade, meu caro Alexandro, não disse nem desdisse nada sobre confirmar ou não a tal história. Inclusive utilizei a palavra lenda para começar a matéria (http://tribunadonorte.com.br/noticia.php?id=108414)

Nunca fiquei tão em cima do muro (tirando a matéria sobre as eleições do Beco da Lama), no entanto, da mesma forma que não confirmam também não desconfirmam nada sobre Exupéry ter pousado aqui ou não, sempre há uma possibilidade.

abrass

Ines Motta disse...

Olá, Alex.
Excelente post.
Adorei o mote e a glosa. Perfeitos!
Um abraço

Lívio Oliveira disse...

Sinceramente, nenhuma prova da passagem de Éxupery por Natal foi apresentada até agora...

Anônimo disse...

Alex:

O rapaz da Tribuna - autor da entrevista -, nesses dias, garanto,vai parar na Academia de Letras...
Custou quanto, a entrevista?
Arre égua - não ouviu, não apurou, ninguém! Foi na onda, coitado...!
Laélio Ferreira