17 de julho de 2009

Um poema de Civone Medeiros

Indecisão de Cemitério
in http://viradanumtraque.blogspot.com/

Não sei se por fim
Vou ao Bom Pastor
Ou à tal Morada da Paz
Ou fico aos pés do Tirol
Ou se vou pro da Saudade

Gostaria mesmo é de arder
Em chamas
E célere tornar ao pó
Poeirar-me
Entre as margens do Potengi

Meu berço etéreo...

...Enquanto vida:

Mistério.

2 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Morrer em Natal é um oxímoro...

Civone Medeiros disse...

Põe Paradoxismo nisso, caro Bardo!

E, inda é mistério do Quando, do Onde, do Como...

Bjs...

Civ