30 de agosto de 2009

Grupo de fotógrafos é assaltado na Pedra do Rosário

Visual proíbido: Vista a partir da Pedra do Rosário, lugar histórico que não oferece segurança aos turistas.

Um dos pontos turísticos mais visitados de Natal, a Pedra do Rosário, onde guarda o local onde a santa padroeira de Natal foi encontrada, não é seguro para ninguém ficar com máquinas fotográficas clicando o Rio Potengi. Um lugar que tem um apelo religioso/histórico e que guarda um dos mais lindos pôr-do-sol do País não é mais recomendado ao turista fazer uma visita porque não tem segurança.

Cerca de 15 fotógrafos que participavam de uma aula prática de fotografia no Centro Histórico de Natal foram assaltado, às 10h da manhã, por três adolescentes, em plena Via do Contorno e sendo testemunhado por dezenas de pessoas que moram em um condomínio de apartamentos em frente do local do fato.

A turma tinha terminado a sessão fotográfica na Pedra do Rosário e quando começava a caminhar para sair, três adolescentes abordaram o grupo. Aquele que parecia o mais velho do grupo tinha uns 16 anos e empunhava um revólver carregado de balas. Era o que comandava o assalto, enquanto dois mais novos, aparentando uns 14 anos, faziam o “arrastão” das câmeras digitais profissionais e amadoras.

A ação do grupo não durou mais de três minutos. Com as máquinas nas mãos, eles desceram correndo em direção à comunidade do Paço da Pátria. Imediatamente, os professores Hugo Macedo e Plínio Sanderson ligaram para o 190. A Polícia chegou e adentraram a comunidade em busca dos meliantes e dos equipamentos roubados. A casa de um deles foi identificada, mas não o localizaram.

Este blogueiro ficou dando suporte ao grupo de alunos (vítimas). Fomos para o lugar combinado onde os pais foram buscá-los. Contei toda a história e tentei explicar sobre a fatalidade e a falta de segurança nos locais históricos de Natal. Os professores Hugo e Plínio ficaram esperando uma viatura da Polícia Militar para entrar na comuynidade do Passo da Pátria.

Rapidamente, os meliantes já foram identificados e já sabem onde moram, mas ainda não foram encontrados. Nessa segunda-feira, os professores vão pressionar a 1ª Delegacia de Polícia, na Cidade Alta, para que alguns policiais visitem as casas dos assaltantes para poder recuperar as câmeras, já que os marginais são adolescente e protegidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

4 comentários:

Clotilde Tavares disse...

Alex, é lamentável um acontecimento desses, e demonstra que nem em grupo estamos livres dos bandidos. Acho que o grupo pensou que, sendo muita gente, estariam a salvo. Minha solidariedade aos que perderam suas câmeras, eu sei como dói e como dá raiva, e espero que sejam encontradas. Fico triste com uma notícia dessas, recém-chegada de volta a Natal, e doida pra curtir a cidade. Mas desse jeito, fico com medo.

Clotilde Tavares disse...

Alex, é lamentável um acontecimento desses, e demonstra que nem em grupo estamos livres dos bandidos. Acho que o grupo pensou que, sendo muita gente, estariam a salvo. Minha solidariedade aos que perderam suas câmeras, eu sei como dói e como dá raiva, e espero que sejam encontradas. Fico triste com uma notícia dessas, recém-chegada de volta a Natal, e doida pra curtir a cidade. Mas desse jeito, fico com medo.

ZOROBABÉ disse...

Espero que o fato não interrompa o curso que vinha sendo ministrado.
O Trabalho que o professor Plínio Sanderson desenvolve no Colégio Ciências Aplicadas é esmerado. Um acontecimento lamentável como esse quebra todo um planejamento de trabalho e deixa sequelas.
Felizmente, nada de mais grave aconteceu.
Desoladores essa falta de segurança na cidade e o desassombro como agem os meliantes.
Providências para conter esse crescimento da violência precisam ser tomadas com urgência pelo governo do Estado.
Se faz necessário que a sociedade também discuta formas de como se proteger da bandidagem.
A situação é a cada dia pior.

Eduardo Alexandre

Anônimo disse...

Que vacilo, é lamentável o que aconteceu, mas vocês pediram para ser assaltados. Eu trabalho com fotografia e não saiu na rua nesses pontos túristicos sem escolta polícial, fazer foto na ponte nova, no Rio Potengi, na Pedra do Rosário, na Praia do Meio, é pedir para ser assaltado!!! Todo mundo sabe disso... Fica uma dica: na próxima vez, não vacila, passa em um posto polícial e solicite a presença de dois policiais, eles estão alí para nos proteger e não vão se negar a fazer o trabalho deles...