7 de outubro de 2009

Um poema de Iara Carvalho, Currais Novos RN

Trajeto
in http://www.mulhernajanela.blogspot.com/


fui acontecida
desde a noite de natal
quando no cimo da árvore
cravaram espinho
pedra
e mel

morri no nome
quando não pude nadar

cantar então é um enorme
cacto
na garganta

2 comentários:

Mulher na Janela disse...

hummm....que honra aportar nessas terras...nesse ponto.

xero, rapaz!

Caio Padilha disse...

Belo Poema!