19 de setembro de 2007

Fotografia e Poesia


Olho Predador
Lívio Oliveira, Natal RN

Sobrevôo estratégico
do alvo corpo insulado,
instância eterna
do sonho.
Registro ótico:
harmonia sensorial
na beleza estendida
em campo verde.
Mulher deitada ao sol,
cavalo trotando,
cuidadosamente,
passos alegres
ao redor da dama nua.
A cena é única,
o quadro multicor,
matizes raras,
luminosidade que estimula.
O olho segue
o movimento
lento da fada
que monta o seu jovem potro
e passeia,
como Godiva,
galgando as escarpas
do desejo.
A retina do Falcão-Rei
extrai da cena
o instante sutil
do escândalo
a que assiste,
plenamente só.

Um comentário:

BAR DO BARDO disse...

Muito, muito bom!